A cultura da escuta ativa em 7 passos

A cultura da escuta ativa em 7 passos

As práticas de gestão de pessoas mais atuais ressaltam a importância da comunicação entre os níveis estratégicos e táticos das empresas. É aquela conversa entre o gestor e sua equipe, e como dar ouvidos ao principal diferencial das empresas: o que os funcionários estão pensando?

Criar espaço para ouvir as pessoas e fazer isso de forma a agregar valor ao negócio é fundamental em qualquer tipo de empresa, mas ainda esbarra em diversos fatores que envolvem priorização (tempo), valorização das pessoas e, principalmente, cultura.

Por isso, apresentamos abaixo sete passos importantes para que sua empresa consiga implementar uma Cultura da Escuta, que potencialize os resultados e a experiência das pessoas através do exercício de ouvir mais. Ouvir o que seus funcionários têm a dizer vai muito além do que motivá-los e mostrar interesse nas suas opiniões. Tem a ver com ouvir sobre os impactos da sua estratégia e como seu ativo mais importante está reagindo a ela.

São atitudes e ações simples, mas que podem potencializar seus resultados de forma muito impactante.

1 – Ouça seu colaborador de verdade!

Não imagine o que seus funcionários estão pensando. Apenas pergunte! E procure fazer isso da maneira mais aberta possível, sem direcionar a resposta que gostaria de ouvir. É provável que haja muita informação nas entrelinhas do que vai ser dito por eles.

2 – Mensure as opiniões e exercite métodos

Crie diferentes formas de mensurar as informações que você coleta dos funcionários, transformando-as em dados quantitativos e qualitativos. Para isso, práticas comuns como avaliações de desempenho e pesquisas de clima funcionam. Porém, procure abrir outros espaços menos formais e mais frequentes, pois são eles que modificaram a Cultura da Escuta dentro do negócio. Na era da tecnologia, os meios para isso são infinitos.

3 – Não comece querendo ser Google

Pequenas ações podem ter reflexos incríveis. O que está em jogo é a intenção de ouvir, não o quanto isso é moderno e estruturado. Comece com ações pequenas e claras, que criem o mínimo de barreira possível para a comunicação. O primeiro passo é engajar e tirar dúvidas. Com o passar do tempo, naturalmente, seu público vai apoiar esse processo.

4 – Olhe para a escuta com emoção

Entregue-se nesse processo. Abrir este espaço e vive-lo com emoção é o que vai permitir que insights preciosos nasçam a partir da escuta. Tenha a cabeça aberta para ouvir e entender diferentes pontos de vista, se coloque no lugar de quem fala e deixe de lado suas convicções por uns instantes.

5 – Colete e analise as informações

Depois de escutar muito, procure organizar as informações. Tente consolidá-las de forma a permitir uma tomada de decisão baseada em dados, e não nas suas percepções. Lembre de considerar tudo, e não apenas aquilo que você acha importante. Uma medida sobre relevância é: sobre o que as pessoas querem e se sentem mais à vontade para falar?

6 – Transforme suas análises em ações

Provavelmente, neste ponto, você já evolui muito e recebeu e analisou muita informação nova. É a hora de agir! Crie um plano de ação que responda ao que surgiu de necessidade e, principalmente, responda aos anseios das pessoas. Esse plano servirá como um combustível para que seus colaboradores produzam mais e melhor. Uma fase interessante é validar esse plano e envolver seus funcionários na ideação e criação das ações. É nesse momento que o engajamento aumenta e a Cultura da Escuta começa a mostrar seus benefícios.

7 – Não desista!

O início deste processo pode apresentar barreiras bem desestimulantes: pessoas pouco engajadas, pouca informação coletada, informações distorcidas. Portanto, sua resiliência e perseverança será colocada à prova. Veja isso com naturalidade.

É claro que a gestão precisa demonstrar envolvimento, dedicação e abertura para ouvir e impactar as pessoas, mas precisamos entender que não depende só de você. Seja paciente e confie no processo. Haja com transparência e demonstre muito interesse. Os funcionários precisam acreditar nessa nova cultura.

Quando isso acontecer, prepare-se para uma virada radicalmente produtiva na gestão das pessoas através da Cultura da Escuta.

 

Baseado no artigo de Patrick cool – Líder de Pessoas Analytics no ABN AMRO Bank na Holanda.